domingo, novembro 18, 2007

Capítulo 10

(Segue a trama)


O carro onde vi o detetive Machado pertence ao pai de Agnaldo? Não pode ser uma coincidência.


Segundo o boletim oferecido a imprensa pela polícia no dia seguinte, o suspeito preso com armamento e munição no carro de Joilsom Fagundes (pai de Agnaldo) era um preso foragido que havia recebido permissão da justiça para visitar familiares no dia das mães e jamais retornara ao cárcere. O meliante fora detido e impedido de chegar ao morro do *&^%$# para onde provavelmente o fuzil e a munição estavam sendo transportados. Sua fixa era grande. Preso por latrocínio, tráfico de entorpecentes, assalto a banco dentre outras atividades. A própria Delegacia responsável pela investigação do caso Sheila/Agnaldo apresentou o B.O feito dias antes por Joilsom Fagundes denunciando o roubo do veículo. Para eles talvez só mais um caso para aumentar as já estratosféricas estatísticas de roubo na cidade, mas para mim alguma coisa não se encaixava. Se o carro havia sido levado pelo ladrão e já existia uma queixa feita pelo dono do veículo, por que a polícia só foi capturar o indivíduo depois da denuncia anônima? E o Detetive Machado, onde estaria a esta altura? Permanecia tudo muito obscuro, não seria complicado imaginar que poderiam existir elos entre todos os interessados na não resolução do duplo homicídio. Talvez o pai de Agnaldo, Detetive Machado e alguns policiais que tomavam conta do caso estivessem trabalhando juntos para dificultar as coisas. É muito comum quando um fato como este ganha repercussão na imprensa e envolve gente rica, famosa ou poderosa que algum fodido seja pego como Cristo para dar uma resposta imediata à sociedade e encerrar o assunto. Se isso fosse verdade, então Agnaldo e Sheila estavam envolvidos em sérios problemas. Cheguei a cogitar que o esclarecimento real dos fatos pudesse gerar uma crise ainda maior, sem precedentes. Joilsom Fagundes era um homem de muitos contatos, bem quisto entre celebridades e autoridades que freqüentavam seu camarote na passarela do samba. Seus negócios financiavam candidaturas, eventos importantes, shows, peças de teatro. O homem soube como se cercar. Quando vejo amigos de infância morrendo nessa guerra besta fico imaginando o quanto são estúpidos todos os que se alimentam disso. Várias vezes já me chamaram para fazer parte do “movimento”. Argumento: que essa vida que eu queira era pura ilusão, que valia muito mais a pena vender drogas para os viciados e tirar 300 reais talvez até 500 por semana do que ganhar 50 pratas para ficar horas fazendo figuração no meio daquele bando de artistas viadinhos de nariz em pé. Muitos deles inclusive “nossos clientes”. Carlinhos “boca mole” um dia chegou pra mim e disse, quer conhecer esse tipinho que aparece na TV? Vai à festa lá na casa do patrão. Quando ele dá uma festa é uma festa de verdade. Tudo regado pra todo mundo. Lá geral ta garantido porque não tem ninguém tirando foto e o clima é de liberdade total. Tem umas até que a dão mole pra gente, só não peguei ainda porque o chefe não deixa. Tem uns malucão que gostam de vir aqui, pegam nas armas, ficam dando autógrafos para molecada e tirando uma onda. A área aqui é de paz irmão, tá comprado. Os homi não chegam nem perto, só aparecem pra pegar o arrego e depois somem. A comunidade tem muito carinho pelo patrão, ele ajuda as crianças com material escolar, ajuda as senhoras, resolve problema conjugal, compra remédio, fecha as valas, concerta cano que a merda da CEDAE nunca fez questão nem de saber que existe. O Patrão gosta de você, disse que tu é boa pinta que pode fazer serviço delivery. Entregar na casa dos bacanas. A gente tem um telefone que é só discar e a droga vai em casa, o problema é que a maioria dos moleque dá na pinta e nós precisamos de alguém acima de qualquer suspeita e você com essa onda de galã de novela poderia tirar um bom salário.
Sempre recusei, não era esse meu objetivo de vida e o tal do patrão que era querido pela comunidade mais cedo ou mais tarde seria trocado por outro e depois por outro e depois por outro e assim por diante, pois igual ao “boca mole”existem milhares de garotos querendo um lugar de destaque e reconhecimento dentro da comunidade. Por isso que digo que a sociedade e burra, fica enxugando gelo. Acham que vão conseguir acabar com a criminalidade na base da porrada? Vão ficar a vida inteira fazendo esse papel de vítima enquanto continuam plantando, regando e alimentando o sistema que fingem que estão combatendo. Nunca tive essa ilusão. Posso ser um cara humilde, mas não sou burro. Sempre soube que os verdadeiros donos do negócio não andam por aqui. Estão passeando pelo mundo, levando seus filhos para a Disney, instalados em coberturas e mansões enquanto os soldadinhos pés de chinelo ficam brincando de Rambo na favela. Morrendo, deixando filhos sozinhos, mães desesperadas ou então as mantendo reféns de humilhações e visitas nas cadeias abarrotadas de bandido. A real é essa. Por isso que quero me ver longe dessa porra. Quero conseguir meu lugar numa novela, quero ter o direito de escolha. Aqui nessa merda de lugar o que muitas vezes não temos é o direito de escolha. Não poderia acusar ninguém, pois nunca tive provas concretas, mas sempre suspeitei do Pai de Agnaldo. O que Sheila me contara já fora o suficiente para ficar com um pé atrás. Estava esperando o caso ser arquivado de uma vez. Para mim estavam todos no mesmo barco, todo mundo de mão dada, ninguém queria uma real solução. Provavelmente Joilsom sabia que o filho havia sido vítima dos negócios da família e mesmo com toda dor, todo ódio, toda ira, ele se vingaria ao seu modo e quanto menos publicidade em cima melhor. Lembrei de uma frase que ouvi certa vez quando estávamos deitados depois de uma noitada de sexo. Sheila me confessou depois de chorar mágoas de ex-noivo, antigamente eles contratavam pistoleiros para resolver os problemas, mas isso no tempo do seu avô. Hoje em dia eles contratam vereadores, deputados, senadores, prefeitos, assim as coisas se resolvem onde ninguém vê. Do “boca mole” ao pai de Agnaldo todos sempre confiaram numa coisa muito bem estabelecida nesse país, a impunidade. Só os pobres vão parar na cadeia, mas mesmo assim ainda acreditam que não.

O grande dia. Malu combinou comigo o horário da filmagem. Cheguei com algumas horas de antecedência para passar o texto e me preparar. Não havia ninguém além da equipe de produção preparando a locação. Já estava com o texto memorizado, mas fiz questão que o diretor percebesse meu entusiasmo com a oportunidade. Ele me elogiara muito no teste, mas acabou me dando uma pífia participação, no entanto estava nos meus planos conquistar sua confiança para futuros projetos. Qual não foi minha decepção quando foram chegando e fiquei sabendo por Malu que seria o assistente de direção o responsável pela parte que me cabia. Mas e o diretor, perguntei. Ele está no outro núcleo, não temos tanto tempo e nem tanto dinheiro, vá se preparando. Já estou pronto. Muito bem rapaz, então aguarde e já começaremos. Enquanto aguardava fui para a sala de maquiagem. Um rádio tocava dentro do banheiro a mesma música que já ouvira pelo menos umas 30 vezes só nas últimas 24 horas. Eu nem gostava daquela canção, mas de tanto ouvir até aprendi a cantá-la e depois ficou ecoando em meus pensamentos se repetindo um milhão de vezes.
Olá, me chamo Alaíde, vamos limpar este suor, tirar o brilho, colocar um pouco de pó... Alaíde saiu falando igual uma matraca, nem conseguia respirar direito. Em poucos minutos já tinha me contato a vida toda e mais algumas encarnações. Prestei atenção em suas coxas, em seus pés delgados, bonitos, unhas pintadas de vermelho, no piercing na barriga, peitos médios. Fiquei contente de não ter mais uma bicha com maquiador. Não tenho nada contra bichas, nem poderia ter, mas é sempre melhor uma mulher passando a mão no seu rosto, nos seus cabelos. Pronto, terminei, disse Alaíde. Obrigado. Fiquei pensando em algo a mais para falar, nada vinha em minha cabeça. Alaíde significa o quê? Como assim? Qual o significado do seu nome? Não tenho a menor idéia, coisa da minha mãe. Vou procurar o significado e te dizer depois, tenho curiosidade em relação a isso, gosto de saber quais são os critérios que os pais usam para dar nomes a seus filhos. (Foi o melhor que arrumei para puxar um assunto). Fiz minha participação, conversei com Malu a respeito de datas, estava ansioso para saber quanto tempo demoraria para estrear o filme. Voltei até a sala improvisada de maquiagem e dei meu telefone para Alaíde. Se quiser saber qual é o significado do seu nome me liga. Dois beijinhos e parti de volta para minha casa. Achei péssima minha cantada, foda-se.
No caminho aconteceu algo bem curioso. Um homem de barba branca e cabelos grandes entrou na condução. Pediu atenção dos passageiros e começou um discurso muito interessante a respeito de Deus. Ele se dizia representante do divino, com uma missão na terra. Divulgar a palavra de São Tomás de Aquino. Segundo o tal senhor Aquino comprovara a existência de um ser superior, onisciente, onipotente, bondoso e atento a tudo que estávamos fazendo nessa vida. Aquilo me deixou tenso. Escutem-me; “Nada se move sem um motor anterior. Isso nos leva a uma regressão, da qual a única escapatória é DEUS. Alguma coisa teve de fazer a primeira se mover, e a alguma coisa chamamos Deus”. Segundo; “Nada é causado por si só. Todo efeito tem uma causa anterior, e novamente somos forçados à regressão. Ela só é concluída por uma causa primeira, a que chamamos Deus”. Terceiro; “Deve ter havido uma época em que não existia nada de físico. Mas, como as coisas físicas existem hoje, tem de ter havido algo não físico para provocar sua existência, e esse algo chamamos de Deus”. E quase todo mundo começou a bater palma, menos um cidadão de óculos e livros na mão que parecia ser um aluno ou mesmo professor, pois levantou de seu assento e rebateu o velho homem. “Esses três argumentos baseiam-se na idéia da regressão e invocam Deus para encerrá-la. Eles assumem, sem nenhuma justificativa, que Deus é imune à regressão. Mesmo que nos dermos ao duvidoso luxo de conjurar arbitrariamente uma terminação para a regressão infinita e lhe dermos um nome, não há absolutamente nenhum motivo para dar a essa terminação as propriedades que normalmente são atribuídas a Deus: Onipotência e Onisciência, bondade, criatividade de design, sem falar em atributos humanos como atender a preces, perdoar pecados e ler os pensamentos mais íntimos.” O senhor ficou perturbado e perguntou, qual é seu nome rapaz? Meu nome é Dawkins. E baseado em quê o companheiro chegou a esta conclusão? E lá se foi mais uma patada do cara que tinha nome de estrangeiro, mas cara de nordestino. “Pela lógica, onisciência e onipotência são incompatíveis entre si caro Senhor. Se Deus é onisciente, ele já tem de saber que vai intervir para mudar o curso da história usando sua onipotência. Mas isso significa que ele não pode mudar de idéia sobre a intervenção, o que significa que ele não é onipotente”.
O diálogo deu um nó no meu pobre e cansado cérebro, o fato é que os passageiros não entenderam bulhufas do que o tal Dawkins estava dizendo e preferiram talvez pela ignorância apoiar o lado que falava mais fácil e de forma mais simples e em uníssono começaram a vaiar o rapaz. Tem coisas que se contar ninguém acredita. No ponto seguinte o barbudo desceu e o cara seguiu seu trajeto indiferente às vaias que recebera. Queria ter anotado o tal diálogo para tentar entender melhor, pois algo me dizia que havia um porquê naquilo tudo. Talvez Deus estivesse nos testando e a nossos argumentos.
Contei o caso para minha mãe, ela muito religiosa disse que o tal rapaz deveria ser um enviado de Satanás e que não se coloca em dúvida a palavra de divina. Talvez minha mãe tenha exagerado um pouco. Existem coisas que é melhor não tentar explicar, afinal de contas que diferença faria nesse momento descobrir se existe ou não existe um Deus?
Vou rezar para ver se ele me manda um trabalhinho bom. Quem sabe Rogério não me aparece com novidades?

12 Comments:

Blogger Kari said...

Foi impressão minha ou a estória deu um nó?
Aff...acho que esse pai do Agnaldo deve ter culpa no cartório.
Mas rico nunca é culpado de coisa nenhuma, né? Sempre terminam arranjando um pobre qualquer pra levar a culpa...

Ah! Gostei da discursão no ônibus...

Beijos

4:34 AM  
Blogger DÉIA said...

oi lindinho.
voçê não disse nada sobre a minha idéia de se tornar presidente. sei que não da para responder a todos mas isso é super importante.
a novela tá ótima assim que der vou começar a imprimir.
bjs

6:25 AM  
Blogger manuh said...

Como você disse, a sociedade no geral, sempre prefere acreditar em quem fala mais fácil, na linguagem deles, porque eles nem sabem o que é linguagem culta, e quando se fala algo com verdadeiro conteúdo, parece outra língua para eles, e não se entende bulhufas mesmo.Por isso ninguém quer saber de ler nem escrever, recebem as informações mastigadas mesmo, e não tem nenhum interesse, somente a velha ignorância que reina em nossa sociedade hipócrita. Isso é lamentável. O pior é quando pessoas com conhecimento são ridicularizadas.Estou sempre lendo um livro, e aproveito os intervalos das aulas para isso, e tenho que me acostumar com os babacas zombando do meu interesse. Isso é trágico.Mas seguimos ...

Gostaria de saber se tem uma vaga para uma voluntária interessada?!

Grande beijo querido,
e continuamos na luta.

6:42 AM  
Blogger DÉIA said...

TO JUNTANDO DIM DIM PARA PASSAR MINHAS FÉRIAS AÍ NO RIO, ESPERO QUE QUANDO EU FOR ACONTEÇA UM SHOW DO DETONAUTAS PARA EU IR TE VER.


PAZ!

6:47 AM  
Blogger DÉIA said...

VOÇÊ NUNCA VAI ENTENDER O QUANTO SOU SOU LOUCA POR VOÇÊ!
ABRAÇO

6:49 AM  
Blogger Lulu said...

Nossa senhora, o que foi isso?
No começo achei que iria ser igual ao fato acontecido aqui em Maceió:

entrou um rapaz no ônibus com um pacote de jujuba, fez umas gracinhas com todo mundo que tava ali sentado e no final disse:
-Pessoal, dentro dessa caixa tem uma arma, eu vou passando e vcs vão colcando dentro dela todos os seus pertences!
Todo mundo entregou tudo, ele então deu boa tarde pra todos e desceu do ônibus!

É demais...


beijao

8:01 AM  
Blogger **Renata Ferri** said...

Ops...fikei super confusa agora! hahah
Na minha opinião Flávio fikou mexido quando o "boca mole" falou que o patrão gostava dele..tenho pra mim que ele vai desistir desse lance do filme e trabalhar como delivery.
Ou vai comer a Alaíde pra tentar subir de "cargo" no filme....e nao vai adiantar nada.
Bêjo0s,
Rê!
Te amo MEU SANTO FORTE!

(Passa no meu blog pra ver as fotos)

12:01 PM  
Blogger Suelen DRC said...

Nossa, a história ficou um pouco confusa agora!!
Tô ficando até com pena do Flávio... ele é um tanto quanto azarado... vive descontente com os trabalhos que consegue... e até pra cantar a Alaíde, tá difícil!!
Tomara mesmo que ele não seje burro, pq os "lucros" desse tipo de trabalho não é nada favorável!!

Beijão querido!!

3:08 PM  
Blogger Inamara said...

Meu filosófico Santo Forte....Minha Santa Cruz

Muito bom...inserindo até filosofia na novela.....Ainda pretendo ler mais sobre Santo Agostinho, Santo Tomás de Aquino e São Bernardo...santos filósofos, mas atrelados aos conceitos teológicos e conceito de um Deus!!!
Já gostei menos dessa novela (que sem intervalos esta virando um filme...tenho saudades de suas poesias, contos eróticos e crônicas)....
Acho que o Salinas é um cara em um bilhão de tantos outros...ele é de boa fé...boa índole, mas é meio CRU de vivência..meio "normalóide"...pode melhorar se se tornar um observador, se estiver mais atento, se resolver buscar e indagar mais sobre as coisas com as quais se confronta, se depara cotidianamente e não apenas se conformar com a "normalidade" das coisas horríveis que se vê e se passa nessa vida!!! ou simplesmente aceitar sem nem questionar...como tantos assim...a maioria... que encontramos!!
Bem....cuidado com sua fiCHa...escapou ou não caiu???
Beeeiiijooosss...TODOS....Saudades enormes!!!!

7:56 PM  
Blogger the tonautas said...

oi, Tico.

Flávio Salinas... "herói"? ou "bandido"?

E novamente voltamos ao velho clichê do que é "bem e mau", bom ou ruim. Sei lá.

Abraços.

7:01 PM  
Blogger Ana Paula said...

ola amore
com certeza to adorando a saga
mais só uma curiosidade, qual é o titulo da novela mesmo?
bjim
ana paula vivo pelo amor

8:28 AM  
Blogger Jaquelyne said...

Confundii tudoo
ahuahauah

Ticoooo desculpa a demora a aparecer aqui
tavaaa com preguia de ler
mais to aqui de voltaa..
=D

2:51 PM  

Postar um comentário

<< Home