quinta-feira, março 13, 2008

3horas e 36 minutos

Meu universo mudou
É a poesia
Que invadiu minha vida
E transformou em um novo dia
Agora recebo e-mails de poetas, escritores.
E tomo conhecimento de saraus e encontros fantásticos.
E aprendi a de ler, pois já gostava de escrever, mas para escrever sem ler é necessário muito talento, identifico meus limites, a poesia me mostrou caminhos que não conhecia , escolho atalhos ou longos percursos, estava eu pensando sobre isso outro dia.

Esse lance de tempo.
Uma conversa sobre viajar por ele.
Voltar e descobrir coisas sobre outras vidas.
Será que existiram outras ou talvez venha há existir algum dia?
E das pessoas próximas que relataram experiências de regressão.
Nunca ouvi alguém dizer que foi um fracassado, fudido.
Talvez um soldado ou um mendigo.
Quem sabe um mago maldito.
Mas já ouvi testemunhos de reis, rainhas, imperadores, gente rica e poderosa.
Ninguém passou incólume pelo planeta.

Foi então me atentei ao fato de que no futuro algumas pessoas possam vir a usar esses recursos pode ser que ninguém acredite que tive uma banda de Rock e fiz shows por todo um país. Que recebi e-mails de poetas e escritores importantes. Que ousei tentar escrever poesia. Vão desconfiar de mim. Talvez usar do mesmo argumento.
E se por acaso essa linda profissional do sexo que derrubou um Governador de Nova York vier a relembrar disso numa dessas viagens?
Será que alguém vai acreditar?

Tudo especulação de uma madrugada chuvosa e vazia.
Inclusive o começo deste texto que pensava em transformar em poesia.
Esse negocio de rimar ia com ia é irritante e me angustia.

Olhando umas fotos antigas fui parar num baile a fantasia.

Viu como é irritante?

Pois meu universo mudou
E trouxe de volta um brilho que já não lembrava mais.
Um brilho de harmonia de cheiro de chuva na grama molhada numa fazenda pelo interior. O clima de uma dessas viagens que fazemos com amigos e que não esquecemos jamais. O clima de paz em meio ao vendaval de experiências e pensamentos malucos.

Enfim, neste blog estará tudo registrado para um caso de nostalgia.
Gosto de olhar para o futuro, mas quando me pego no presente, ah que alegria.


Tico Sta Cruz

21 Comments:

Blogger Danny Souza said...

NO RESTO DA MADRUGADA CHUVOSA
DE MAIS UM DIA
QUE SE INICIA
NÃO CONSIGO PARAR DE LER
IMAGINAR E LEMBRAR
AMPARADA NESSE TEXTO
QUE TEU CORAÇÃO GUIA.

E ABRAÇANDO TE SORRIO
COM A MAIS PURA ALEGRIA
POIS MAIS UMA VEZ TENHO CERTEZA
QUE MUDASTES
E QUE RESPIRAS POESIA...

ATÉ MAIS !
BEIJOS DE POESIA

DANNY

2:34 AM  
Blogger Le said...

Adorei este texto!
E sobre o tempo... ainda acho que foi criado pelo homem, sempre em busca de controle.

Queremos saber o que se passou e o que passará... (regressões curam traumas?!?!? Ou aumentam a auto-estima?!?!)

HOje vi um arco-iris...

Beijos e abraços a todos que passam por aqui,
Leticia

3:09 AM  
Blogger Le said...

Agora um comentário nada a ver com o texto... mas que gostaria de compartilhar com vocês:
MELÔ DO CONGRESSO - Luciano Pires
Meu título de eleitor já tem 33 anos. E nesse tempo todo em que treinei minhas habilidades como eleitor, parece que o atributo que mais desenvolvi foi a desconfiança. Não sei como é com você, mas em ano eleitoral eu sinto uma espécie de angústia. Quero conhecer os candidatos, mas não sei direito onde procurar as informações. E quando as encontro, não sei se acredito. Todos parecem ter um passado a esconder ou um futuro a desconfiar. E quando encontro algum que julgo merecer meu voto, logo vem alguém dizendo que não é bem assim, que o primo da tia do vizinho da cunhada dele ouviu dizer que a pessoa tem rabo preso... Que dureza!

A única certeza que tenho é que urna não é lixeira. Voto não é brincadeira. O voto é a única arma para liquidar com os bandidos. E sabe o que mais? O bandido está lá, ocupando aquela cadeira porque nós a deixamos vaga. Não gostamos de política. Eles gostam...

Milhões de pessoas vendem seus votos, negociam sua vergonha. Outros milhões optam por desistir, por lavar as mãos, como Pilatos. Mas muitos milhões não aceitam ser reféns da negociata, da bandidagem, da enganação. Em qual milhão você se insere?

Pois bem... Apesar de minha angústia e incertezas, decidi fazer alguma coisa para evidenciar a importância das escolhas nas eleições. Em 2004 criei uma ferramenta para tratar desse assunto de forma irreverente e séria ao mesmo tempo: as melôs. Parodiando músicas conhecidas e sob forma de pequenos filmes protagonizados por bonecos de uma egüinha e três vaquinhas, que cantam e dançam de forma engraçada, as melôs foram feitas para serem distribuídas como um vírus pela internet.
Os bonecos são manipulados por profissionais bonequeiros da companhia Trucks. São fascinantes. Você pode até não gostar, mas sua filha gosta...Se você quiser ver como tudo é feito, visite www.lucianopires.com.br e acesse a área de vídeos.
Muito bem. Tudo isso para apresentar o novo lançamento, a Melô do Congresso. Baseada na música Felicidade, de Lupiscínio Rodrigues, com letra de Junior Poli, Labi Mendonça e eu mesmo e arranjos e interpretação de Sérgio Sá, a Melô do Congresso vai direto ao ponto:

Honestidade foi-se embora / E a vergonha no Congresso já não mora / Esperança no Brasil, só piora / Porque sei que a falsidade lá vigora

O deputado já começa aproveitando / Mete a mão, vai desviando
E não pára de roubar / E o dinheiro do hospital / Vai pra boiada, / Pra amante e o novo carro / Que o Juninho vai comprar

Moralidade foi-se embora / E a maldade no Congresso é lá que mora /
E é por isso que o nosso só se explora / Porque sei que a pilantragem lá vigora

O deputado fala errado / Ri à toa, se fingindo de inocente / E começa a enrolar / E o coitado que votou nessa pessoa / Lembra o voto, que vergonha / Quatro anos pra aturar

Seriedade, foi-se embora / O picareta virou dono, e nos devora / E o povo inteiro já percebe, a ilusão / De que a política em Brasília / É enganação

Daqui a pouco é eleição e lá vêm eles, / Com sorriso, abraço e beijo / Pro meu voto conquistar / E eu mando à merda, não sou burro nem palerma /
Ninguém mais me passa a perna / Eu vou botar pra quebrar

Renovação vamos embora / Que a limpeza do Congresso, não demora/ Não sou trouxa, tô cansado / Vou à forra / Porque sei que a falsidade não vigora
O vídeo já está disponível em meu site ou no YouTube, em http://br.youtube.com/watch?v=hfGo5GecgeY .
Você pode fazer o download do vídeo pelo link: http://www.lucianopires.com.br/video/MeloDoCongresso.wmv
Ajude a distribuir essa mensagem. Mande o link para seus amigos e inimigos, para o padre, o delegado, o vereador, o deputado, o gerente do banco e a dona do bordel.
Esta brincadeira é muito séria.
Luciano Pires
www.lucianopires.com.br

Até mais,
Leticia

3:34 AM  
Blogger Auíri Au said...

Sempre bom, olhar para trás e vê que evoluímos, sempre estamos buscando coisas novas, desafios novos, amigos, momentos...
É questão de tempo, para se acostumar a pensar que não estamos sozinhos, não somos sozinhos!Ignorância é pensar que numa galáxia desse tamanho só exista a nossa raça, (que caminha para a própria destruição), espero que em um futuro próximo, quem carregar a minha farda, possa se orgulhar do que fui....



luz


Auíri Au

5:43 AM  
Blogger Junior São Gonçalo said...

A magia da Poesia...
O ar, as pessoas, as paisagens...
Poesia...
Poesia...
Ah, Poesia!

Que tanto inspira e quando a inspiramos, não conseguimos mais viver sem...

Sinceramente, pegando uma carona em sua "regressão", me peguei pensando no imaginável de um certo tempo atrás... eu lendo poemas, vivendo poesia e cada vez mais mergulhando nesse universo lindo e maravilhoso...

Você e tantas outras pessoas fazem parte desse meu novo mundo também, amigo.

Tenho a CERTEZA de que realmente PODEMOS SER TUDO AQUILO QUE ACREDITAMOS E DESEJAMOS COM A FORÇA DA ATITUDE.

Muita Luz!

Abs irmão.

Junior

5:50 AM  
Blogger Cristal said...

Bom Dia Ticoooo!!!

Uma das coisas que me mantém "encantada" por ti, é justamente essa mistura de Rock com Poesia. Loucura com lucidez. Rudez com sensibilidade.
Não gosto de nada muito "normal".

Não posso ter certeza se temos "direito" a outras vidas ou não, mas não gosto de pensar que a vida de uma pessoa se resuma somente a essa passagem.
Nasci e cresci num ambiente onde a maioria era de descendência alemã, inclusive a minha família. Frequentávamos uma Igreja Luterana-Protestante, e nunca havia sequer ouvido falar sobre espiritismo, até minha fase mais adulta.
Quando entrei na Faculdade li alguns livros sobre essa crença, mas não costumava dar muita atenção. Mas como tu dissesse aí em cima, chega um momento em que o nosso "universo" sofre mudanças, e o meu mudou muito quando aconteceu o falecimento da minha mãe.
Eu não podia acreditar que na tarde de uma sexta-feira, após ela ter feito um jardim lindo, com as flores que eu e meu irmão havíamos levado pra ela, foi descansar um pouquinho, e durante o sono, seu coração parou de bater, e a nossa história havia acabado. Olhava pra ela e pensava: essas mãos que trabalharam tanto, que cuidaram de mim, dos meus irmãos, não podiam simplesmente virar pó. Tinha que haver alguma explicação.
Eu nasci e cresci e só vi a minha mãe trabalhar, trabalhar, e sofrer com coisas que a "vida???" lhe aprontava. Ela partiu sem o direito de ser feliz??? Uma mulher que só vi praticar o bem. Pra mim, alguma coisa estava errada.
Foi então, que sem eu fazer nada pra que isso acontecesse, algumas coisas "estranhas???" começaram a acontecer comigo, e eu fui mudando a minha forma de pensar sobre a vida e a morte. Minha mãe fez eu sentir que a nossa história não tinha acabado ali, e por várias vezes, em momentos que eu precisava de um "colinho", senti a presença dela, como que dizendo: "...eu estou aqui, minha caçulinha..." (era assim que ela me falava quando eu caía e me machucava).
Como a Khalee já disse algumas vezes: "... há muitas coisas entre o céu e a terra..."

Sobre tu estar assim, se descobrindo num novo universo, fico feliz por ti.
Tu és alguém que "procura", e quem procura, acaba "encontrando"...

Desejo que tudo corra bem na manifestação de hoje...

Beijos...

7:38 AM  
Blogger Cristal said...

AHHHH!!!
A chuva também esteve presente aqui em SC nesta madrugada.
Senti essa mesma harmonia...
cheiro de chuva e grama molhada, literalmente.
Adoro quando a gente corta a grama e chove em seguida. Esse cheiro, essa sensação, é algo que não tem preço. Dividi-la com quem a gente gosta, então...
Isso é uma das coisas que dá sentido a vida, pelo menos pra mim.

Abraço apertado...

7:47 AM  
Blogger Lulu said...

Fazia tempo que nao passava por aqui! e quando volto, me deparo com palavras sábias que sempre fazem a gente pensar!

bom final de semana!

beijos

7:51 AM  
Blogger Altieres said...

...tempo
tempo...
...tempo
tempo...
...tempo
tempo...
...tempo
tempo...
...tempo
tempo...
...tempo...

8:44 AM  
Blogger Flor_de_lótus said...

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

(Fernando Pessoa)

;)

10:30 AM  
Blogger Camisa e o Botão said...

pra falar a verdade, eu acredito, bem antes de eu ser esperita. acredito mesmo, ñ sei explicar mais acredito.
e tudo vc transforma em poesia, quando escrevo sou +/- assim começo com uma coisa e termino com outra. Jah disse amo seus texto, acho em vc, um poço de encontro de palavras que ninguém, jamais... nunca penso em fazer antes. Não é puxa saco, não preciso disso.
mas gosto de falar sobre oq leio;eu escrevo tb, mas não chego aos pés do seu. maaas tdu beem ^^
Beem, bom fds pra vc ai ^^


abraços;
Lua'

11:10 AM  
Blogger Carla Aguiar said...

Posso enxergar essa mudança no brilho dos teus olhos e na leveza da tua alma, sabia?
Que sua vida continue sendo inundada de poesia.
E que a nostalgia do passado e a expectativa pelo futuro sejam constantes, mas que o mais importante continue sendo a alegria do presente!
Muito bom te ler assim! =)
Beijo grandão, querido.

12:30 PM  
Blogger Carla Aguiar said...

Ah, e hoje (data de nascimento de Castro Alves) é o dia nacional da poesia.
Deixo de presente pra você, então, uma música de um cara que eu adoro e que é um verdadeiro poeta:

Alma Nua
Vander Lee)

Ó Pai
Não deixes que façam de mim
O que da pedra tu fizestes
E que a fria luz da razão
Não cale o azul da aura que me vestes
Dá-me leveza nas mãos
Faze de mim um nobre domador
Laçando acordes e versos
Dispersos no tempo
Pro templo do amor
Que se eu tiver que ficar nu
Hei de envolver-me em pura poesia
E dela farei minha casa, minha asa
Loucura de cada dia
Dá-me o silêncio da noite
Pra ouvir o sapo namorar a lua
Dá-me direito ao açoite
Ao ócio, ao cio
À vadiagem pela rua
Deixa-me perder a hora
Pra ter tempo de encontrar a rima

Ver o mundo de dentro pra fora
E a beleza que aflora de baixo pra cima
Ó meu Pai, dá-me o direito
De dizer coisas sem sentido
De não ter que ser perfeito
Pretérito, sujeito, artigo definido
De me apaixonar todo dia
De ser mais jovem que meu filho
E ir aprendendo com ele
A magia de nunca perder o brilho
Virar os dados do destino
De me contradizer, de não ter meta
Me reinventar, ser meu próprio Deus
Viver menino, morrer poeta

http://br.youtube.com/watch?v=tgVbDc2QlbA


;)

12:34 PM  
Blogger borboleta. said...

Voltar no passado, sentir o presente e imaginar o futuro são frutos do Sr. Tempo.

A nostalgia é deveras importante porque nos mostra os caminhos que nos trouxeram até aqui.

O futuro está logo ali...e vem como nosso presente deseja.

Um beijo no olho!

4:05 PM  
Blogger Suelen DRC said...

A poesia é encantadora, parece mágica que nos envolve e nos deixa fascinados, só acrescentando aprendizado em nossa vida!
Amo!

Beijão querido!

6:23 PM  
Blogger Inamara said...

Meu poeta Santo Forte....Minha Santa Cruz...

Não vou eu escrever...vou deixar-te poesia...e de alguém que ficará... independente do tempo...da existência física....assim como você também.....
(1)
“Tenta esquecer-me...
Ser lembrado é como evocar
Um fantasma...
Deixa-me ser o que sou,
O que sempre fui,
um rio que vai fluindo...
Em vão, em minhas margens cantarão as horas
Me recamarei de estrelas como um manto real
Me bordarei de nuvens e de asas,
Às vezes virão a mim as crianças banhar-se...
Um espelho não guarda as coisas refletidas!
E o meu destino é seguir...
é seguir para o Mar,
As imagens perdendo no caminho...
Deixa-me fluir, passar, cantar...
Toda a tristeza dos rios
É não poder parar!
(2)
...“a vida é uns deveres que trouxemos para fazer em casa Quando se vê já são seis horas, há tempo...
Quando se vê já é sexta-feira... Quando se vê passaram 60 anos!
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
Se me dessem, um dia, outra oportunidade,
Eu nem olhava o relógio,
Seguia sempre, sempre em frente E iria jogando pelo caminho A casca dourada e inútil das horas...
(3)
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde
e pousam no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...
(4)
O tempo é uma invenção da morte não o conhece a vida - a verdadeira
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.

E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida –
acaso lhes indaga que horas são...
(5)
Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões,
não falaria em Deus nem no Pecado
- muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,
não citaria santos e profetas:
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições...

Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,
Rezaria seus versos, os mais belos,
desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!Porque a poesia purifica a alma
... e um belo poema - ainda que de Deus se aparte -
sempre coloca o Poeta face a face com Deus!
(6)
Todos esses que aí estão Atravancando o meu caminho, Eles passarão...Eu passarinho

MARIO QUINTANA

Tooodooosss meus beeeiiijooosss sem tempo e com poesia!!!
Ina

8:36 PM  
Blogger Rositah said...

Normalmente as pessoas amam o futuro
O futuro é onde guardamos todas as nossas esperanças
Como eu gosto do meu presente
passo o dia feliz

BJOOOO querido

4:00 AM  
Blogger Monica said...

Um ser humano é muito complexo para tentarmos compreendê-lo inteiramente.
Mas so evoluimos porque damos sinais de que queremos ser explorados, e perceber esses sinais ocultos so é possivel se pararmos e prestarmos atençao realmente, ouvir não com nossos ouvidos mas com nosso coraçao, para perceber os detalhes escondidos numa frase, o sentido das palavras.
Um dia saberão quem você foi e o que você fez, pouco importa onde, pouco importa quem conhecera sua historia, Alguem com certeza ja conhece, mesmo o que você ainda nem sabe que é capaz de fazer, mas que fara. Porque não sabemos por quando tempo o espaço fisico que hoje conhecemos existira, então ta certo, esta marcado. Não te preoculpas com coisas do condicional se, apenas continua marcando. Continua fazendo sua poesia e deixando sua marca.
Você têm razão. Fazer sua parte.
Beijos
Mônica

9:13 AM  
Blogger Cristal said...

Ticoooo,

Vi que várias pessoas nos presentearam com poesias dos seus poetas favoritos, em homenagem ao Dia Nacional da Poesia, que foi dia 14, então selecionei um poema, que é de um dos meus escritores preferidos:
Me permites???
Permitido, então lá vai:

Néon estrelar

Deixe-me tocar-te em tua ternura singela
de Cinderela que nunca experimentara o néctar profano.
Flor de primavera
bordada em cachecol
em luz do sol, marcastes meu assombro
pois se te pego assim sozinha, não me escapas
sorrateiro em tua presença
discreta e ausente das coisas do mundo.

Deixe-me escorrer pela tua boca rosa chá
entre teus seios pontiagudos
em meus desejos coloridos
em meus sussurros conformados
de sentir sem te tocar.

Das coisas que imagino quando passas
cada detalhe, das investidas as ameaças
O silêncio entre seus passos delicados
Meus gritos abafados, meu coração.

Sugiro um dia encantado em piquenique
Algumas frutas da estação sobre um pano xadrez
Melodias suaves de um rádio de pilha
que posso levar para cantar-te uma canção.

O céu azul de borboleta.
Árvores e água límpida num copo transparente.
Dia quente de inverno.
Saboroso teu sorriso
Conversas engraçadas ao pé do ouvido
abraços roubados
um beijo na pontinha do nariz.

Tua inocência é uma farsa que preciso descobrir
mas tenha calma,
não tenho pressa
Não te assustes,
não vou me adiantar

São somente versos.
Versos de solidão.
Versos de confusão.
Prestes a explodir em estrelinhas de néon.

Mais um sorriso ...
e te arrasto pra ser meu par !!!

Tico Sta Cruz

10:26 AM  
Blogger edilza said...

Este comentário foi removido pelo autor.

1:12 PM  
Blogger Lorraine said...

Tico por favooor !
Me passa seu msn ...Para trocarmos textos e textos !

Beijos ...Lorraine !!!

6:41 PM  

Postar um comentário

<< Home