segunda-feira, abril 21, 2008

Mais lenha na fogueira



Debate sobre a legalização das drogas.

Tico Sta Cruz

13 Comments:

Blogger ** Renata Ferri ** said...

To acompanhando sem me manifestar a discução no RC!
Concordo que se a maconha faz mal a saúde...pq nao os médicos serem responsáveis por essa questão e nao os policiais!???
Bêjo0s,
Rê!
Te amo MEU SANTO FORTE!

1:06 PM  
Blogger (( Brunosauay )) said...

"Sou a favor da legalização".

Pois acho que se drogas como tabaco e álcool são liberadas e (comprovadamente) bem mais maléficas ao ser humano e a sociedade, por que proibir a maconha?
Pura falsa hipocrisia.
Talvez por ser remeter à movimentos, digamos, 'livres', como os hippies ou tipos do gênero, a sociedade conservadora já impõe uma forte negativa.
Oras, que diferença tem na liberação e na utilização atual?
O tráfico e a violência gerada por ele.
Vale a pena manter assim? eu acho que não.
E outra, muitos aqui conhecem usuários de maconha (só estou falando dela, ok?) e devem saber que ela não traz esse efeito absurdo e nem faz alguém sair matando ou roubando. Pessoas alcoolizadas fazem isso bem mais facilmente, além de cometer acidentes de trânsito ou provocar brigas.
Em alguns países ela ja é usada com fim medicinal, pois ela estimula o apetite, é usada no tratamento de mal de parkinson, esclerose múltipla, traumatisto, desnutrição, aids, câncer; ajuda contra os espasmos musculares e até em casos de glaucoma... tipo, qualquer doença que tenha como consequência dores crônicas...

No entanto, como tudo na vida tem dois lados, ela também provoca problemas na memória, no sistema respiratório e reprodutor... e como o cigarro, câncer de pulmão.
Mas pelo menos é raro ver uma notícia que alguém morreu por consumo exagerado de maconha ou outra coisa, ao contrário do cigarro, que é legalizado...

Eu não uso nenhuma droga, nem lícita ou ilícita, e não suporto nenhuma delas perto de mim (afinal sou fumante passivo - contra a vontade, mas sou - pq hoje em dia onde você vai tem alguém fumando..)

Mas esta aí, "minha opinião".

Ela legalizada ou não, as pessoas usam do mesmo jeito; e o nosso adorado e amado governo não consegue controlar, acha que com uma prestação de serviços à comunidade a pessoa vai deixar de usar.

INSANA MENTE HUMANA.

Abraço!

1:38 PM  
Blogger Sil said...

Sou a favor da legalização, mesmo achando que não podemos ter certeza do que vai acontecer com relação aos traficantes.
Acho que manter tudo como está é não fazer nada... Melhor tentar algo!

E coitadinha da maconha... Leva tanta culpa por fazer mal às pessoas, enquanto tds desfrutam diariamente de coisas tão piores!!!
Povo hipócrita!
Eu nunca experimentei pq ñ gosto de pensar na possibilidade de perder o comando... Pelo mesmo motivo nunca fiquei bêbada. Ao menos sou coerente!

Enfim...

3:22 PM  
Blogger Vanessa Maria said...

Bem está questão da Proibição é beeem antiga... Desde que Aslinger começou com a proibição da maconha nos EUA, o que foi o estopim para a proibição no resto do mundo que está tudo errado...
Ele não tinha motivos reais....criou estórias e mitos, como que a maconha dava força sobrehumana para os imigrantes, levava as pessoas a cometer crimes e à luxúria... seus mitos se espalharam mundo afora...
Assim Aslinger se tornou o homem que combateu as atrocidades causadas pela droga...
Mas o que muitos não sabem são os reais motivos de Aslinger, ele queria poder, e o conseguiu facilmente... Queria tbm que os beneficios da maconha fossem extintos... a maconha era usada para fabricação de papel, lonas, cordas, para fins medicinais...enfim para uma infinidade de coisas.... Aslinger tinha envolvimento com os grandes produtores de eucalipto... ou seja, o tempo todo o que ele queria era mais e mais poder e mais e mais dinheiro...
Hoje muitos sabem que estes foram os reais motivos da proibição...
Então para que continuar a proibir, a proibição é a grande causa dos crimes ligados as drogas.... é tudo muito nítido... mas ninguém quer ver... parece que o ser humano se acostuma com as coisas de uma forma que não consegue mudar.... não consegue abrir os olhos... ver além do que é dito ou mostrado na mídia...
Um ser fechado em si mesmo... onde uma cultura hipócirta foi escrita e é seguida por seres racionais e passionais a ponto de serem moldados pelos detentores do poder...
Acho que depois de tanto tempo de escravidão já é hora de mudar...


Adoro-te Santo forte...

4:12 PM  
Blogger Bruna said...

Eu sinceramnete não tenho uma opinião formada sobre a legalização porque tenho uma dúvida : será que traficante vai se legaliza,registrar firma??
Será que não vai ser como os cds?dvd?tenis?e tudo mais que é falsificado?vai ter nas lojas, mas por um preço mais alto,quem ta acostumado a compra do traficante vai continuar pq sem impostos mais barato é.
O debate é necessário,mas mais necessário é as pessoas saberem o que estão debatendo,o necessário é educação,para que as pessoas compre o que é legal,para que as pessoas não se entupam da droga mais licita e adorado do brasileiro,a ceva,e saiam dirigindo suas armas pelas ruas e avenidas ,mal conservadas,desse pais,para que os políticos não paressam mais leigos no assunto que minha vovózinha.

Os problemas são históricos,a mente humana é pré-histórica.

4:47 PM  
Blogger Leticia said...

Bom, em minha opinião, essa nova Lei não descriminalizou a conduta do usuário, mas sim despenalizou. O uso de drogas nunca foi crime, mas sim a conduta de portar, guardar, trazer consigo, etc, com a finalidade de uso próprio. Na nova Lei, ainda se considera crime essa conduta, mas as penas não servem pra nada, absolutamente.
As penas são de advertência sobre os efeitos da droga, prestação de serviço à comunidade e medida educativa. Se o usuário não cumprir nenhuma dessas penas, o juiz pode admoestá-lo verbalmente ou aplicar-lhe multa. Se o usuário não pagar a multa, nada acontece. Nada. Não existe substituição de nenhuma dessas penas em outra restritiva de liberdade.
Então, a conduta de adquirir, guardar, ter em depósito, transportar ou trazer consigo droga para consumo pessoal é crime, e por si pode gerar condenação, reincidência e antecedentes criminais, mas não obriga ao cumprimento da pena. Logo, na prática, é como se crime não houvesse.
O que acho errado é o fato de o usuário ser tratado na Lei como vítima, e não causador do tráfico. Ora, não havendo consumo não há venda ilegal (por mais utópico que isto pareça). Logo, me parece arcaico e sem fundamento “admitir” a conduta para o uso e proibir a venda, uma vez que o grande problema do país é o tráfico e não o consumo. Na real, me parece que a Lei agrava a situação, uma vez que agora se pode ter droga para uso e não sofrer sanção, mas para comprar tem que ser ilegalmente. Melhorou em que exatamente??
Até porque, embora não saiba dizer como são as coisas aí pra cima, mas até esta Lei entrar e vigor não havia sequer um usuário preso por portar drogas para consumo próprio aqui no Rio Grande do Sul.
Quanto ao que é realmente importante, o tráfico e o financiamento, não vi grandes mudanças. Só proibiram a suspensão condicional e aumentaram a pena, o que no meu entender não adianta nada, uma vez que creio que quando alguém vai cometer um delito, não o faz ou deixa de fazer por causa da quantidade de pena aplicada, mas sim pela certeza da impunidade.
As formas privilegiadas (indução, oferecimento sem objetivo de lucro, tráfico ocasional) são um agradável avanço à Lei anterior, que englobava tudo na conduta de tráfico, mas também nada melhorou quanto ao combate ao tráfico de drogas, ao financiamento do tráfico ou às organizações criminosas que se utilizam da traficância como subsídio financeiro.
Ahh, se o traficante for viciado, pode ter redução de pena (????).
Na boa, continuo crendo que a descriminalização da produção e venda de drogas, aplicada a uma política de combate à ilegalidade e facilitação ao acesso legal às drogas é a saída.
E me desculpem os que não concordam, mas ainda acho que os problemas médicos e sanitários que tal conduta pode gerar ainda será infinitamente menor do que o problema de segurança pública que hoje vivemos (tráfico ilegal gera renda ilegal, financia esquemas ilegais e aquisição de armamento ilegal, induz violência e criminalidade).

5:04 PM  
Blogger velhinha99 said...

A questão não está na legalização e sim em "quem" vai perder -dinheiro - se isso ocorrer. É fato que o mercado:
- é lucrativo
- gera "renda" e financia diversos setores (ui! falei!)
- está articulado a diversos "ramos respeitados" de nossa sociedade (políticos, empresários, organizações governamentais ou não, dentre outros)
- é organizadíssimo e faz parte da contra cultura (já li alguém dizer, pode?)
- quem morre é sempre "a carne mais barata da região" ou mesmo o viciado, lá da ponta.

Sei que há outros pontos a serem debatidos. Mas são tantos que sempre acabo me lembrando de uma piada do Casseta e Planeta, parodiando um comercial da IBM em que um traficante quer entregar a carga e acaba ligando até para o congresso. Será que coloquei mais lenha?

5:08 PM  
Blogger Inamara said...

Meu debatedor Santo Forte....Minha Santa Cruz

Nem vou me repetir aqui pois já escrevi muito sobre o assunto lá no tópico do DRC (apesar de saber que pode haver aqui um público diferente, mas que pode se chegar até lá se tiver curiosidade, que será sempre bem vindo!! né??) e tb pq estou com problemas no meu teclado e não sei ser suscinta!! rsrs
Reafirmo porém que ha conclusões dos prós e dos contras com as quais me identifico, porém ainda não computei a porcentagem para saber qual é mais cabível e lógica...e nem sei se existirá uma mais certa que a outra...concluo apenas que o debate é precioso e imenso...então...adiante...estou aprendendo...e amo isso!!!

Beeeiiijooosss

8:02 PM  
Blogger Sil said...

Ina é a melhor!
Enquanto vários jovens (quero dizer: mais jovens do que nós! rs) se afirmam conhecedores das verdades e certos de tudo... Ela assume que está aprendendo, apesar de suas superiores vivências!

Sou fã dela!!! =D

12:42 PM  
Blogger Bruno said...

Há pouco tempo, era absolutamente contra o uso de qualquer tipo de droga.

E não foi da noite pro dia que mudei minha opinião. Com o tempo, percebi que alguns grandes amigos, pessoas que sempre admirei, usavam ou usam maconha, e nem por isso deixaram de ser meus amigos, ou começaram a agir de maneira distorcida em relação a outros assuntos.

Não vou me estender... hoje vejo essa situação sob um aspecto completamente diferente.

Porém, por formação familiar e educacional, sou um pouco metódico e consequente (as vezes demais).

Aceitar a legalização das drogas, ao meu ver, envolve inúmeros outros fatores.

Talvez o principal deles, seja criar ou adaptar leis que realmente sejam capazes de coibir abusos por usuários, como por exemplo, determinar que crimes cometidos por pessoas fora da razão devido ao uso de drogas (em geral) seja considerado hediondo.

Infelizmente, penso que tal situação seja fantasiosa. Não vivemos num mundo honesto e justo. Sempre haverá pessoas ganhando, sonegando e se prevalecendo... inevitável. É triste pensar assim, mas creio que muito provavelmente, os usuários, então legais, tomarão atitudes iguais às dos alcoólotras e continuarão tirando vidas ou marcando outras até o seu fim!

E quem assumirá essa bronca?

Legalizar pode ser a solução...

...pode ser...



Abraço a todos!
Paz sempre!

2:48 PM  
Blogger Psique said...

O problema não está em legalizar ou não o uso da maconha, mas de nos conscientizarmos sobre a sua proveniência, do caminho que ela percorre até chegar em nossas mãos.
(deixei meu post aqui pq nos correspondíamos, há algum tempo por e-mail, e sempre passo p/ ler seus textos).

5:12 PM  
Blogger Monica said...

Oi Tico
Fica dificil opinar quando não temos conhecimento de causa, não conheço nenhum dependente, nem nunca usei qualquer tipo de drogas.
Acho que qualquer posição seria baseada em teorias, e de teorias estou farta.
Mas vendo o que acontece no Brasil e em todo o mundo, acho que talvez o Sr Senador tenha razão, a proibição das drogas incentiva o uso, o que vejo é que as drogas legalizadas que passaram a custar caro, estão tendo um resultado de redução no consumo, mesmo que pequeno, mas redução.
Por exemplo, por aqui, o cigarro aumentou para 7,00 euros o maço. Muitas pessoas que conheço, pararam de fumar, literalmente, primeiro por causa do preço, tornou-se inviavel, e segundo, a proibiçao de fumar em qualquer lugar publico, mesmo restaurantes, bares, discotecas, escritorio da empresa, aeroportos, estações de trem, todos os lugares publicos, exceto nas ruas.
As pessoas têm tanto trabalho para fumar um rapidinho, que acabam sendo obrigadas a reduzir.
Claro que somos obrigados a respeitar as leis por aqui, porque as multas são aplicadas de verdade, e são pesadissimas, tanto para o fumante quanto para quem deixou fumar, ou seja o dono do estabelecimento.
Então se a proibição não reduz em nada, so faz aumentar, por que não ganhar em cima do consumo,e utilizar o dinheiro para a conscientização e tratamento das vitimas. Não estou totalmente contra o sr. Senado, nem totalmente a favor, a questão seria, legalizar mas utilisar o dinheiro dos impostos de maneira coerente, o que no Brasil.......
Então que o dinheiro dos traficantes passe para o governo e que seja utilizado para o povo....
Seria mais logico, e que apos a regularização, exista um controle correto sobre o que entra e sai do pais.
Pode ser querer muito, mas se o sisitema que esta a não esta funcionando, porque não fazer um teste.
Acabar com o monopolio dos traficantes e entrarmos como concorrentes, talvez conseguiriamos controlar tambem muitas outras situaçoes ligadas ao trafico, como a violencia, armas, miseria, corrupção.

é isso ai. temos que debater.

Beijos

11:12 AM  
Blogger ACM said...

Eu depois de pensar muito, sou a favor da legalização do comércio de drogas e uso.
O que não pode ser liberado é o uso em lugares públicos, pois se o cigarro comum é insuportável, a maconha e outras drogas traria muito mais incômodo as pessoas normais.
A legalização reduzirá ou eliminará o narcotráfico, a violência reduzirá drásticamente porém ira causar um problema de saúde pública mas que é um mal menor.

6:40 AM  

Postar um comentário

<< Home